segunda-feira, 14 de maio de 2018

SONETO SOBRE O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO


«Para teu sujo tráfico, ó Acordo Ortográfico» 

por Luís Miguel Rosa (nascido em 1984)

«Para teu sujo tráfico, ó Acordo
Ortográfico, sempre ao meu retiro
Vieste, onde inda pérolas respiro,
Pra ficares co’as minhas letras gordo.

Entocado e sombroso no rebordo
De arbustos, tumular, sem um suspiro
Qualquer de compunção, dava-te um tiro
Se em vez de abutre fosses mero tordo.

Sim, bem sei, de momento estás na mó
De cima, tens do teu lado o cifrão,
O jornal, o político – peró.

Não és, valha a verdade, um grão dragão:
Para travar-te basta-me isto: “O AO
Nestas páginas minhas – não, não, não.»

1 comentário:

  1. Acordo ortográfico14 de maio de 2018 às 17:21

    No tempo dos apostólos
    em que os homes eram barbáros
    subiam às arvóres
    para matar os passáros.

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.