Facts about the FCT/ESF science evaluation: the story so far

segunda-feira, 28 de Setembro de 2009

Espelho do mundo

Informação recebida nossa caixa de correio.

Título: Espelho do mundo - Uma nova história da arte
Autor: Julian Bell
Editora: Orfeu Negro
Tradução: Luís Leitão e Cláudia Brito
Número de páginas: 496
Formato; 20 x 26,5 cm

Espelho do Mundo é uma história da arte para os leitores do século XXI. Numa visão transversal, que interliga culturas e continentes, Julian Bell apresenta uma nova concepção da história da arte dirigida a um mundo globalizado, uma análise da diversidade das obras de arte e do modo como estas podem relacionar-se entre si ou mesmo enraizar-se umas nas outras e nos respectivos contextos sociais e políticos.

Ele próprio pintor, Julian Bell interpreta a arte do ponto de vista do criador, procurando estabelecer uma afinidade entre o espectador e o artista. O seu propósito é o de incentivar o espectador a, antes de mais, observar a obra de arte e, só depois, equacionar a sua essência e significado. Desafia-nos aqui a olhar a arte enquanto espelho da condição humana.

Julian Bell é pintor, professor de história e teoria da arte e crítico de arte. Colabora regularmente com o New York Review of Books e o The Guardian. É também autor de What is Painting? (Thames and Hudson, 1999).

À venda nas livrarias a partir de 1 de Outubro.

1 comentário:

  1. Sobre a arte,as imagens e os fractais,

    "À semelhança dos fractais, a vida é designada por imagens tiradas da ordem espacial e material, das formas e estruturas e da sua organização, unidade, complexidade, finalidade e evolução. Esta nova geometria dimensional fraccional, quanto mais irregular é a sua forma, mais espaço esta consume (http://pt.wikipedia.org/wiki/Teoria_das_cores, em 14/7/09). De facto, Mitchell Feigenbaum, em meados da década de 70 (do século XX), descobriu que muitos sistemas lineares aparentemente não relacionados comportam-se de modos claramente semelhantes, o que sugere que deveria existir uma teoria unificada para explicar o comportamento caótico dos sistemas e equações em uma faixa ampla de sectores (http://pt.wikipedia.org/wiki/Teoria_das_cores, em 14/7/09)

    Cumpts,
    Madalena Madeira

    ResponderEliminar

1) Identifique-se com o seu verdadeiro nome.
2) Seja respeitoso e cordial, ainda que crítico. Argumente e pense com profundidade e seriedade e não como quem "manda bocas".
3) São bem-vindas objecções, correcções factuais, contra-exemplos e discordâncias.